quinta-feira, 20 de março de 2014

Potosí, BOLÍVIA


A Villa Imperial de Potosí foi fundada em 1545 nas altitudes por volta de 4000 m, em função dos abundantes minérios de prata e de outros metais. Já no século XVI se tornou o maior complexo industrial do mundo, que funcionava com amplo emprego de energia hidrostática, fornecida pelo único sistema de aquedutos e lagos artificiais. Nesta época foi considerada como cidade mais rica do planeta, e a sua população atingia 160 mil habitantes já em 1625 (hoje em dia está nesta faixa também - 170 mil), e no final do mesmo século foi a segunda maior do mundo depois de Paris. A herança daqueles tempos ficou bastante preservada, e desde 1987 faz parte de Patrimônio de Humanidade (cadastro UNESCO No.420, primeiro dos 6 monumentos da Bolívia).

A zona de preservação inclui o centro histórico, o conjunto de mineração de Cero Rico e os antigos bairros dos mineiros, com inúmeras igrejas coloniais. O principal museu da área central, Casa de la Moneda, toma várias horas de visita, e há também tantos outros, inclusive museus-igrejas com mirantes panorâmicos. Somando grande acervo de casario colonial e toda a charme das ruas antigas, só o centro histórico justifica no mínimo 2 dias de permanência. E há ainda excursões às minas de prata - de dia inteiro ou tomando toda parde de manhã, bem como excursões mais distantes de dia inteiro, portanto reserve bastante tempo ao planejar uma parada em Potosí.



O principal acesso rodoviário é pela Ruta 1: La Paz - Oruro - Potosí - Tarija - Bermejo (fronteira com Argentina). Há bastantes ônibus interurbanos nestas linhas, na maioria noturnos, mas de dia também. Existe também frequências noturnas direto de Cochabamba via Oruro. A conexão com Sucre via Ruta 6 também é boa (150 km, 3 h de viagem, com preços na faixa de B$20). Além disso, há também linha pela estrada de terra a Uyuni que faz parte do Departamento Potosí. O novo terminal de ônibus de Potosí foi inaugurado em 2009 e fica distante do centro, na periferia norte. Há bons serviços de táxi e também várias linhas de ônibus urbano, procurar pela plaquinha "mercado central" na ida e "nueva terminal" na volta, tarifa B$1,3. Já o aeroporto de Potosí vive com baixa demanda de voos, em função de tarifas comparativamente altas).

Principais atrações:
Conjunto arquitetônico dos séculos XVI-XVIII;
Casa Nacional de la Moneda e outros museus;
Museo mirador e igreja San Francisco, Museo mirador e igreja Nuestra Señora de La Merced;
Santa Basílica Catedral de Potosí e dezenas de outras igrejas;
Torre de La Compañía de Jesús e outras construções históricas;
Excursões para minas de prata de Cero Rico;
Excursões pelo Departamento de Potosí, inclusive para Salar de Uyuni.



Relatos:
As mais bucólicas ruas de Potosí

Mais fotos:
Álbum Picasa 2013 - Potosí



Links externos recomendados:
Descrição na Lista UNESCO - Potosí, Bolívia
Potosí - Wikipedia (esp.)
Potosí - Wikipedia (port.)
Portal turístico de Potosí
Museu "Casa Nacional de la Moneda"
Potosí no TripAdvisor
Potosí no LonelyPlanet
Mochileiros.com: Potosí e Sucre - Perguntas e Respostas
Terminal rodoviário de Potosí - Horários
Terminal rodoviário de Potosí - Coordenadas Wikimapia
Potosí (praça central) - Coordenadas Wikimapia
Minas de Cero Rico (entrada) - Coordenadas Wikimapia


Fotos do autor.
Atualizado 14.11.2014


...lista BOLÍVIA
...lista UNESCO: 48 Monumentos de Patrimônio de Humanidade em outros países da América do Sul
...página AMÉRICAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário