sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sucre, BOLÍVIA


A сidade - símbolo da Bolívia, capital constitucional, "cidade de quatro nomes". Esta região indígena era conhecida como "Charcas", a assim os espanhóis identificaram a sua estrutura administrativa nesta parte nas colônias: "Audiência de Charcas". A e própria cidade colonial fundada em 1538 foi chamada "La Plata" (nome completo "Ciudad de la Plata de la Nueva Toledo"), deixando claro qual foi o principal objetivo da invasão. O nome "Chuquisaca", que surgiu nos tempos da guerra pela independência, agora ficou com unidade federal boliviana. E a sua capital, bem como sede da Corte Suprema da Bolívia, desde 1839 chama-se "Sucre", em homenagem do marechal da Grande Batalha de Ayacucho (1824), venezuelano Don Antonio Jose de Sucre. Sucre fica nas altitudes por volta de 2800 m e possui um clima muito agradável. A atual população é ca. 300 mil habitantes, 4-a maior área metropolitana da Bolívia. O seu esplendor colonial, baseado em exploração de minas de prata em Potosí (a apenas 150 km), pode ser sentido até hoje, e junto com monumentos da época de independência assegura lugar na almejada lista de Patrimônio de Humanidade UNESCO (reg. No. 566). E de fato, com seu estilo de arquitetura próprio, resultante de mistura das tradições indígenas e espanhóis, esta cidade de igrejas brancas, considerada a mais gentil e orgulhosa da Bolívia, merece uma visita. Não há como conhecer bem a Bolívia sem sentir profundamente os ares de Sucre.



Embora a Sucre fica quase no centro geográfico da Bolívia (um pouco ao sul), na região dos vales, hoje em dia só possui boa conexão rodoviária com o Altiplano boliviano, ou seja, a parte Oeste do país. A única via asfaltada é a Ruta 6 para Potosí (150 km, 3 h de viagem), por onde passa a estratégica Ruta 1 "La Paz - Oruro - Potosí - Tarija - Bermejo (fronteira com Argentina)". Uma via mais curta para sudoeste, Ruta 6 "Sucre - Oruro" atualmente está em obras de pavimentação. Já as estradas que levam a Santa Cruz de la Sierra e a Cochabamba estão em estado sofrível, embora há vários serviços de ônibus que passam por lá também. No entanto, e via aérea se torna bem atraente nesta situação, portanto o aeroporto de Sucre é um dos mais movimentados da Bolívia.

Principais atrações:
Conjunto arquitetônico da época colonial (séculos XVI-XVIII);
Convento, igreja (1600) de La Recoleta, mirante e colégio franciscano na mesma praça;
Iglesia Museo San Francisco de Asís (1539-1581) e Museo Historico Militar ao seu lado;
Catedral Metropolitana de Sucre (1551-1633), San Lázaro (1544), Santo Domingo (1609) e dezenas de outras "igrejas brancas";
Casa de la Liberdad (prédio construído antes de 1700, local da Constituinte e do primeiro Congresso Nacional) e outros museus;
La Corte Suprema de Justicia e outros prédios administrativos dos séculos XVIII-XIX;
Plaza 24 de Septiembre e outras praças da cidade e seus monumentos monumentos;
Cementerio General, Parque Simon Bolivar e outros parques;
Excursões pela região: Tarabuco, cratera , sítios arqueológicos (Parque Cretácico) etc.;
Excursões para Potosí e adiante - para Salar de Uyuni.



Relatos:
(em construção)


Mais fotos:
Álbum Picasa 2013 - Sucre



Links externos recomendados:
Descrição na Lista UNESCO - Sucre, Bolívia
Sucre - Wikipedia (esp.)
Sucre - Wikipedia (port.)
Portal turístico de Sucre
Sucre e região no portal turístico de Departamento de Chuquisaca
Guia turístico de Sucre no portal www.redsucre.8m.com
Museu "Casa de la Liberdad"
Sucre no TripAdvisor
Sucre no LonelyPlanet
Mochileiros.com: Potosí e Sucre - Perguntas e Respostas
Terminal rodoviário de Sucre - Horários
Terminal rodoviário de Sucre - Coordenadas Wikimapia
Sucre (praça central e Casa de Liberdade) - Coordenadas Wikimapia
Sucre (Poder Judiciário da Bolívia) - Coordenadas Wikimapia

Fotos do autor.
Atualizado 25.04.2014


...lista BOLÍVIA
...lista UNESCO: 48 Monumentos de Patrimônio de Humanidade em outros países da América do Sul
...página AMÉRICAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário