sábado, 14 de março de 2015

Tarata, a imperdível

Tarata, Dep. Cochabamba - fundada no século XVIII, 9 mil hab., altitude 2750 m, menos de 30 km de Cochabamba

...ainda 01.10.2013, terça-feira. 

Esta sim, pode ser considerada uma verdadeira cidade histórica no Valle Alto, até chamada «Villa Colonial». E ainda fica bem próximo à Cochabamba, é fácil de ser visitada. 

Os pontos de partida de vans lotação e de ônibus ficam a algumas quadras do terminal de Cochabamba, separadas pelas feiras e pelo terminal ferroviário. Mais exatamente, na Av. Barrientos, mais ou menos aqui (foto ao lado ->).

No meu caso foi só desembarque aqui depois de visitar a Tarata, aonde cheguei de outro lado, pelos fundos do Valle Alto



e logo encontrei a praça principal e até um Centro de Informações Turísticas



O escritório era aconchegante, mas pouco informativo



Mas a praça esbanjava ares da história, aqui ficam Convento de San José (1772), templo de San Pedro e mais um palácio quase da mesma idade.
O mirante da Torre de la Alcaldía deve ser boa pedida, mas não atendeu naquela hora, a cidade almoça toda de uma vez e fecha o resto de estabelecimentos











Muito verde, cheia de estudantes uniformizados nesta hora de almoço.



Falando em almoço, aproveitei esta oferta aqui:


Nem tudo neste pedaço central estava cheio de cores



esta vegetação sobre telhado tb. acusa certa falta de manutenção



Nas ruas vizinhas o estilo rústico de acabamento já predomina.









Mas não é nada triste, a cidade estava cheia de vida jovem.









E prédios como este são sua marca registrada.



Tarata será lembrada mais desse jeito



E como uma das recordistas em matéria de ninhos nos cabos elétricos



Os vans lotação partem para Cochabamba direto da praça principal, B$ 5 por pessoa.



Aproximadamente meia hora pela estrada agradável.


Fotos do autor
Atualizado 14.03.2015


...cartão de visita Cochabamba, BOLÍVIA
...lista BOLÍVIA
...lista UNESCO: Monumentos de Patrimônio de Humanidade em outros países da América do Sul
...página AMÉRICAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário