domingo, 8 de novembro de 2015

Itália para dois: Roma, Verona, Vicenza, Pádua, Veneza

Mochilada pela região Veneto, Itália10 dias em março-abril de 2012 - Viktor Pastoukhov e Ekaterina Pastoukhova



Roteiro (pernoites):  Roma e Vaticano - Verona (2) - Vicenza (1) - Pádua (1) - Veneza (3) - Verona (2) -  Roma

Compramos passagens aéreas São - Paulo - Verona - São Paulo com conexões de dia inteiro na Roma (ida e volta), e a parte terrestre ficou limitada em 300 km somando da e volta: 



Optamos pelos trens regionais econômicos nos curtos trechos de ida: Verona - Vicenza, Vicenza - Pádua, Pádua Veneza, e retornamos de Veneza à Verona de trem expresso.

Álbuns Picasa: Roma - Vaticano - Verona - Vicenza - Pádua - Veneza


Diário:
1-o dia, 6-a – chegada em Roma às 7:15, excursões pela cidade (Vaticano e algumas das praças principais), embarque para Verona às 17:35, chegada 18:35, alojamento e descanso.
2-o dia, sáb. – Verona, excursões pela cidade (San Zeno, Castelo Velho, Centro histórico, Teatro Romano, Duomo, Casa e túmulo da Giulietta, fortes, beira rio, etc. ) 
3-o dia, dom. – de manhã viagem curta para Vicenza, excursões pela cidade, à tarde passeio pelas Vilas em subúrbios sul. 
4-o dia, 2-a – Vicenza, passeio pela cidade, viagem curta para Pádua, alojamento, excursões pela cidade. 
5-o dia, 3-a – Pádua, excursões pela cidade, viagem curta para Mestre, alojamento, almoço, excursões pela Veneza (Dorsoduro e San Polo), à noite concerto de música clássica e retorno para hotel. 
6-o dia, 4-a. - Mestre, mudança curta para Veneza, deixamos mochilas no hotel e continuamos excursões pela cidade (Castello e San Marco), visitando museus (Palácio Ducale, Campanilla, Catedral San Marco e outros próximos), à noite concerto de música clássica.
7-o dia, 5-a. - Veneza, excursões mais dispersas pela cidade, usando passe diário de "vaporetto" (Murano, Canareggio, Santa Croce, San Marco), museus, à noite passeio para Lido.
8-o dia, 6-a. - Veneza, de manhã passeio pela cidade (Dorsoduro e San Polo), museu Ca Rezzonico, viagem para Verona na hora de almoço, excursões pela cidade (Arena Romana, torre Lamberti, Casa do Romeu etc.). 
9-o dia, sáb. – Verona, passeio beira rio, pelas colinos a norte do Centro (Templo da Madona Lourdes), pelo Centro e em outros bairros.
10-o dia, dom. – saída de hotel cedo, o nosso voo de retorno foi antecipado e perdemos o café de manhã, mas ganhamos mais 2 horas em Roma, ônibus para aeroporto às 6, partida às 7, chegada às 8:05, excursões pela cidade (Coliseu e vizinhanças, Panteão, mais algumas praças e parque), partida para São Paulo às 21:30.


Planejamento preliminar

Nossa primeira viagem de verdade a Itália foi um tanto adiada devido às circunstâncias. 80 mil milhas na conta Flying Blue, que juntei voando com KLM, Air France, Alitalia, Aeroflot e Gol nos anos anteriores, estavam a vencer, e a KLM - Air France com este valor oferecia poucos destinos, e todos voando Alitalia. Observando, que a malha da Alitalia é melhor na própria Itália, resolvemos definir alvos principais no interior deste país e aproveitar bem duas longas conexões em Roma, na ida e na volta. 

Rastreamos nossos sonhos italianos e definimos os mais frequentes, além de Roma na lista entraram Gênova, Florença, Nápoles com Pompeia, Veneza e Verona (na ordem alfabética). Não cabia tudo em 10 dias, pelo menos com o nosso jeito de viajar. Então, logo elegemos a prioridade máxima - Veneza, enquanto não sumiu por baixo das águas. A Verona fica bastante perto, portanto ganhou o segundo lugar de destaque. Observamos também que entre duas cidades e em torno deste eixo há vários outros objetos da lista UNESCO de Patrimônio da Humanidade http://whc.unesco.org/en/statesparties/it, Portanto a zona operacional foi definida: Veneza - Verona. 

Estudando estes dois alvos com mais atenção, observamos, que a Veneza é menos amigável em relação de preço dos hotéis e da distância até aeroporto, as passagens baratas para voos com datas e horários mais interessantes para nós desaparecem de um dia para outro... A Verona pareceu muito mais acessível, com preços razoáveis, logística fácil e tem posição mais estratégica na região. Assim, escolhemos esta cidade como porta de entrada na Itália, quer dizer entrada com bagagem toda (de duas mochilas), e não apenas com uma mochila leve de bordo, que levamos em Roma. E foi uma ótima decisão.

Então, 7 meses antes da viagem recebemos bilhetes eletrônicos GRU - VRN - GRU, com conexões de 10 horas em Roma na ida e na volta. Nós dois pagamos menos de 2000 reais mais 80 mil milhas FB (quase 1800 reais segunda passagem, e todas taxas de embarque, uns 160 reais).


Planejamento detalhado

Não temos hábito de reservar todas hospedagens antecipadamente, mas nesta vez preferimos caprichar neste item e deixar a flexibilidade apenas em horários de deslocamento entre cidades. Assim, 2 meses antes de embarque já reservamos hotéis e visualizamos várias opções de transporte interurbano. O site da cia. ferroviária http://www.trenitalia.com demonstrava muitas soluções boas, a qq. hora do dia. Considerando o horário de check-out e check-in em hotéis, normalmente 11 h e 14 h, otimizamos as viagens curtas entre cidades neste intervalo, que cabia tb. almoço. Mas sempre era possível embarcar mais cedo ou mais tarde e redistribuir o tempo entre algumas cidades, caso acharemos útil. A rota terrestre foi montada assim: Verona - Vicenza - Pádua - Veneza - Verona. Dois primeiros trechos foram pequenos, apenas meia-ora de trem. Terceiro já até o Terminal Mestre foi um pouco maior, mais 12 min. até o Centro Histórico. Para volta a Verona escolhemos trem rápido, um pouco mais de uma hora de viagem, os regionais levam duas horas e meia. 

Nosso orçamento apertava mais em tempo do que em Euros, portanto resolvemos não gastar horas para busca de hospedagem econômica na área, e reservamos hotéis 2**-3*** que aparecem na Internet e têm localização estratégica, entre terminal ferroviário e centro histórico de cada cidade, mais próximo ao primeiro. Usamos vários sites de busca e reserva, mas acabamos reservando quase tudo nohttp://www.venere.com/hotels/.

Hotéis reservados:

2 noites em Verona (chegando tarde de Roma) 
Hotel Piccolo - Via Giulio Camuzzoni 3, Verona 

1 noite em Vicenza
Continental - Viale Trissino, 89, 36100, Vicenza

1 noite em Pádua
Hotel Corso - Corso del Popolo, 2 – Padua 

1 noite em Veneza - Mestre
Hotel Trieste - Via Trento 2, 30171, Mestre

2 noites em Veneza - Dorsoduro
B&B Ancient Venice - Dorsoduro 3171 - Calle De Le Boteghe – Venice

2 noites em Verona (partindo cedo para Roma)
Hotel Martini - Via Camuzzoni, 2-3 B, Verona

Duas vezes por duas noites em Verona - não só porque esta cidade é muito interessante. Escolhemos voos entre Roma e Verona assim que dias destas viagens passamos na primeira, mas noites depois ou antes dormimos na segunda. Encontramos em Verona 2 hotéis bem localizados, um ao lado do outro, e com pequena diferença no preço, e reservamos diferentes na ida e na volta, para comparação. Entretanto, a recepção foi uma só, apenas tivemos apartamentos em prédios de projeto um pouco diferente. 

Veneza foi a mais complicada em relação à hospedagem, com preços mais altos e com conforto menor. Entretanto, na parte continental, ao lado de Terminal Mestre, houve opções com bom custo-benefício. Depois de estudar vários relatos e tomar conhecimento de opiniões até extremistas e bem divergentes, resolvemos testar as duas soluções. Reservamos primeira noite em Mestre (só neste caso via http://www.hrs.com), e duas outras já na parte histórica (em Dorsoduro, próximo ao Canal Grande). Simbolicamente, o hotel em Mestre acabou sendo o mais barato nesta viagem, Eu 53 para dois, com bom conforto, café de manhã e internet eficiente. E na própria Veneza o mais caro, Eu 100 por noite. Ainda foi o único 2**, todos outros mereceram suas 3***. E nem foi hotel, apenas, umа hospedagem «Bed & Breakfast», ou seja, um quarto na casa familiar, com banheiro no corredor. A prometida internet existiu na forma de sinal fraco da rede municipal. Funcionava um pouco, mas apenas no lado de fora, na praça bastante movimentada. 

Viajar a dois, apenas 10 dias e com mochilas leves, deixa um alto grau de liberdade, mesmo com hospedagem reservada e paga. Era possível antecipar ou adiar por várias horas partidas entre cidades, principalmente de Verona, na volta para Verona, e entre Pádua e Mestre. Nestes casos cabia até a esticada para algum outro destino, no sentido transversal à rota principal. Pensamos mais em Ferrara, mas acabamos mantendo apenas 5 cidades. E desviamos pouco dos horários otimizados, apenas antecipamos a chegada em Vicenza, já que pretendemos caminhar pelos subúrbios já no primeiro dia. 


Custos

As despesas com hotéis, incluindo café de manhã e internet já foram previstas antes (dentro de Eu 700 para dois, 9 noites), com pagamento no cartão, antecipado, ou na chegada, faltava levar Euros para 10 dias de outros gastos. Considerando preços conhecidos de vários museus, trens etc., mais a alimentação sem pretensões, estipulamos em Eu 100 por dia. Aplicamos coeficiente de segurança 1,5 e levamos Eu 1500, mais cartões como reserva estratégica. 

Na realidade, tudo ficou mais amigável e gastamos para dois menos de Eu 1500 já incluindo hotéis:
688 - hotéis com café de manhã e internet (9 noites)
273 - alimentação e bebidas
266 - museus e concertos
234 - transporte interurbano e urbano, sanitários públicos (em Veneza é um assunto sério)
33 - lembranças


O mais memorável

- água potável gratuita nos centros de todas estas cidades, distribuída pelas redes antigas, com torneiras charmosas; 
- taça de bom vinho para almoço (0,25 l) custava não mais que 0,2 l de cerveja ou de Coca Cola;
- passagens baratas de trens regionais

Em Roma e Vaticano:
- Vistas da Catedral de Pedro e Paulo de longe;
- acabamento interno da mesma, incluindo textos em latim e em grego;
- passeios beira rio de Tibre, com dois níveis e com verde dos plátanos na primavera romana;
- panoramas da cidade que abrem de Vittoriano e da Vila Medici; 
- praça Navona, muito aconchegante;
- multidões de turistas junto â Fontana Trevi e em alguns outros lugares;
- quantidade inacreditável de ônibus turísticos, com andar superior aberto; 
- contraste entre a arquitetura racional de Coliseu e a natureza das diversões praticadas no mesmo; 
- área total das escavações da Roma Antiga;
- vagões e corredores de metro, apertados e desconfortáveis.

Em Verona:
- a planta da cidade dos tempos do Império Romano, com teatro de um lado e arena de outro;
- o próprio teatro e a própria arena, bem conservados;
- pontes e avenidas beira rio, o próprio rio Adige 
- canal que desvia a água excedente do rio em linha reta, evitando que passe pelo centro da cidade;
- grande estacionamento de «motorhome» ao lado do canal, com maioria dos veículos da Alemanha; 
- panoramas da cidade que abrem de Templo da Madona Lourdes e da Torre Lamberti
- jardins de oliveiras nas colinas norte;
- sistema «bikesharing»;
- anel de fortes de século 19 que cercam o Centro, a herança austríaca, transformadоs em parques, quadras de esportes e estacionamentos;
- monumento em um desses parques, às vitimas de uma das tragédias da 2-a Guerra Mundial, pouco conhecida fora da Itália;
- hiper-lotação no pátio da Casa Giulietta, em torno de monumento, muitos fazem questão de tirar foto segurando o peito de bronze, bem polido em comparação com o resto da figura;
- ruas e cafés aconchegantes do Centro, um pouco do lado das vias turísticas rotas obrigatórias;
- Igreja San Zeno.

Em Vicenza:
- popularidade de bicicleta como transporte urbano;
- ruas desproporcionalmente estreitas, com fachadas bonitas das muitas obras do arquiteto Palladio;
- imponentes construções da praça central;
- rios límpidas da cidade, cheios de peixe que parece com truta;
- panoramas da cidade que abrem de Monte Berico;
- Vila Rotonda e outras do gênero;

Em Pádua:
- popularidade de bicicleta como transporte urbano, maior ainda;
- transporte público: VLT sobre um trilho central e com pneumáticos laterais;
- manifestação anticlerical dos estudantes, em frente ao prédio histórico da universidade, uma das mais antigas do mundo;
- feiras ambulantes nas praças do Centro; 
- a aura da Igreja de Sto.Antonio e das suas dependências;
- o jardim Botânico mais antigo do mundo (daqueles que ainda funcionam) tombado pela UNESCO;
- Praça Prato Della Valle, с овальным каналом вокруг её центральной части; 

Em Veneza:
- quase tudo



Atualizado 08.11.2015


...cartões de visita: Pádua - Roma e Vaticano - Veneza - Verona - Vicenza
...lista ITÁLIA


Nenhum comentário:

Postar um comentário