domingo, 10 de janeiro de 2016

O mais valioso monumento de arquitetura no Mundo


O ponto alto do nosso passeio de um dia em Istambul graças à longa conexão entre voos da "Turkish Airlines" foi visita ao museu do templo Santa Sofia (ou Hagia Sophia):


O  nome Hagia Sophia (Άγια Σοφίαem grego significa "Sagrada Sabedoria", em turco  escreve-se como Ayasofya.

Atualmente (deste 1935, então nos últimos 80 anos) este edifício funciona como museu dele próprio, e se tornou um dos mais visitados museus desta histórica metrópole. A entrada custa 30 Liras (menos de 10 Euro), infinitamente pouco comparando com mistérios preservados nesta monstruosa construção. 

A exposição começa ainda na parte externa do templo, com planta baixa e detalhes de projeto. E também com vestígios dos templos mais antigos que ocupavam outrora este local.


O primeiro templo cristão de Santa Sofia ao lado da praça de mercado em Constantinopla foi construído ainda na primeira metade do século  IV, e destruído pelo incêndio no início do século  V. Logo foi substituído por uma basílica que ficou em pé só por alguns anos. Outra durou bem mais, 415 até 532. Depois de mais uma onda de rebelão - incêndio - destruição começou a construção de um templo eterno mesmo. 


Como catedral cristão de Constantinopla este serviu sem folgas por quase um milênio, em 537-1493, e depois de conquista da cidade pelos turcos-otomanos foi adaptado para funções de mesquita.

O seu interior guarda elementos destas duas épocas: portanto o Templo de Santa Sofia poderia servir como museu das respectivas variantes de religião praticadas nele por tanto tempo. Assim mesmo, "religião" em singular, pois tudo isso, chamado "cristianismo" ou "islã", não passa de mascaras renovadas do velho judaísmo, e esta estrutura ideológica merece termo mais exato de "desligião".

Mas agora estamos falando de outra coisa: desta  construção em pedra, real e verdadeira, criada no início do século VI. Ela não só impressiona, ela também demonstra o significado do termo "arquitetura", ou seja "criação de tetos por meio de arcos":



A sua cúpula central ("domo") com altura máxima de 51 metros é algo inacreditável: bastante achatado em comparação com uma semiesfera ideal, composto de 40 arcos radiais, com 40 grandes janelas ente arcos que iluminam tanto que o domo às vezes parece com um disco voador. E o mais incrível: o seu diâmetro, embora bastante expressivo, de 31 metro, por si próprio não seria capaz de criar um ambiente tão espaçoso - a nave central é quase retangular, e mede 31 metro só em largura, seu comprimento é muito maior.

Há dois segredos que explicam esta façanha. Primeiro consiste em 4 triângulos esféricos abaixo do aro da cúpula que complementam a área coberta até um quadrado de 31 por 31 metro. Este truque de arquitetura chama-se "pendículo" ou "pendente" e não existe em nenhuma das construções mais antigas conhecidas hoje em dia. É muito provável que apareceu pela primeira vez exatamente no Templo de Santa Sofia, já que depois se tornou bastante tradicional. Tais pendículos se apoiam sobre 4 arcos gigantes, sustentadas por 4 colunas principais.

O segundo segredo é seguinte: só os dois arcos laterais delimitam a nave central, mais ou menos separando-a das laterais, mais estreitas.  O arco frontal e o dos fundos também estão "suspensos": apoiados sobre abóbadas semi-esféricas, cada uma das quais, em sua vez, descansa sobre arcos de três nichos  de mesmo tipo menores. É uma verdadeira cascata de arcos e esferas: :


O nicho do meio deste trio do lado Leste é de altar: maior de todas e com parede saliente, cujo semi-círculo ementa o retângulo básico da nave central. Tudo isso em conjunto contribui para criar um ambiente inacreditavelmente espaçoso.  

Depois de apreciá-lo debaixo, podemos subir para galeria principal - sem nenhum degrau, uma ampla  e bem extensa rampa fica escondida dentro das paredes duplas do templo.


Neste nível também há várias coisas interessantes. Desde ano 1935 as restaurações revelaram  vários afrescos e mosaicos da época cristã, escondidos por baixo dos rebocos pintados dos últimos séculos. A maioria destas obras de arte remota às primeiras décadas da história deste templo, portanto sua relevância é inestimável. 


As mesmas podem ser encontradas não só na galeria superior, mas também em naves laterais do térreo. Além das figuras do Novo Testamento aparecem também as imagens dos alguns imperadores bizantinos.

Hoje em dia todos eles são vizinhos das relíquias do período muçulmano da história deste incomparável edifício:



Embora quatro grandes escudos ovais com citações de Alcorão têm aparência mais contemporânea, a idade deles também já é de vários séculos.    Четыре больших овальных шита с цитатами из Корана выглядят более современно, но и им уже века. Já o mirabe ("mihrab") e o camarote do Sultão são simplesmente fabulosos.  

Bem, a descrição das decorações, das relíquias, dos túmulos e de tudo restante no interior deste fantástico templo-museu já não cabem aqui, recomendo aos leitores visitar o lugar e conferir tudo pessoalmente. Sem esquecer de contemplar os elementos arquitetônicos desta subvalorizada Maravilha do Mundo.

Fotos do autor
Atualizado 10.01.2016

...cartão de visita Istambul, Turquia (em construção)

Nenhum comentário:

Postar um comentário